Mosteiro de Alcobaça

Description level
Fonds Fonds
Reference code
PT/ADLRA/MON/MACB
Title type
Formal
Date range
1531 Date is certain to 1870 Date is certain
Dimension and support
8 cx; 1 liv.
Extents
8 Caixas
1 Livros
Biography or history
Grande parte das terras de Alcobaça foram doadas por D. Afonso Henrques a São Bernardo para a fundação de um Mosteiro de Ordem de Claraval. A construção do Mosteiro foi iniciada por volta de 1153 ou 1154, data em que chegaram os primeiros monges de Abadia de Claraval de França. É através de forais ou cartas de povoação que os monges fixam a população rural às sua terras. Até ao século XIV é precária a situação desta comunidade. Com D. Pedro I, que confirma as doações anteriores e amplia vastos domínios, tende a melhorar e a estabilizar a vida do Mosteiro que, até D. João I, viveu um período de felicidade. Com a nomeação do comendatário D. Frei João Dornelas exageram-se os tributos e exerce-se sobre os colonos as maiores violências e dá-se nova interpretação aos forais. O abade de Alcobaça é senhor absoluto das terras. As queixas do povo não chegam ao Rei. Só no reinado de D. Manuel com a entrada no abaciato do Cardeal Infante D. Afonso e o Cardeal D. Henriques se verifica novo período de paz e segurança. Com a saída deste Cardeal, o Cardeal Rei, o primitivo abandono volta a sentir-se no Convento. Mais tarde, com D. João IV, são-lhe concedidas grandes regalias e privilégios. O terramoto de 1755 e a inundação de 1772 infligem graves prejuizos que obriga o Convento a recorrer a empréstimos e que vão dar início à sua ruína financeira que tanto mais se agrava quanto mais faustosos são os banquetes dados pelo Convento. Com as Invasões Francesas e o saque por elas provocado agrava-se o estado económico. Os tumultos da vila acontecem muitas vezes como resultado da hostilidade criada pelo Mosteiro, obrigando os frades à fuga e só em 1834, com a extinção das ordens religiosas terminou a decadência em que a comunidade conventual se encontrava.
Custodial history
A custódia anterior desta documentação esteve a cargo da Direcção de Finanças de Leiria após extinção das ordens religiosas em 1834
Acquisition information
Incorporado através Direcção de Finanças de Leiria em 3 de Abril de 1939.
Scope and content
Este fundo documental compôem-se de inventários, cartas, causas, contratos, correspondência, escrituras, foros, notas de actos e contratos, privilégios.
Arrangement
Funcional
Other finding aid
Guia de Fundos do ADLRA
Record not reviewed.